Espécies ameaçadas de extinção: Tartaruga-marinha-comum

Um belo animal, mas que ainda corre grande risco de extinção, mesmo tendo em seu nome a palavra comum.


Imagem de Marcello Rabozzi por Pixabay


https://www.youtube.com/channel/UCdjF1j_jYXGznBq955YWDoQ?sub_confirmation=1


Nome científico: Caretta caretta

Tamanho: 1,5 m

Cor: pele rosa-amarelada com casco marrom e machas na cabeça.

Ocorrência: Mediterrânea

Status de conservação IUCN: vulnerável


Muitas ilhas, nas quais esta tartaruga faz seus ninhos, tornaran-se reduto de turistas, e a tartaruga que retorna para fazer os ninhos tem pouca chance de sucesso. Na ilha grega de Zakynthos, onde vive a maior população reprodutiva européia dessa tartaruga, o choque de interesses entre o turismo e os grupos conservacionistas acabou em violência na época.


Leia também:


Características gerais da tartaruga-marinha-comum


A tartaruga-marinha-comum (Caretta caretta) também chamada de tartaruga-amarela, tartaruga-cabeçuda, tartaruga-meio-pente ou tartaruga-mestiça, é uma espécie de tartaruga marinha pertencente à família Cheloniidae. Habita no oceano Atlântico, Pacífico e Índico, e no Mediterrâneo.


Habitat


Passa a maior parte da sua vida em habitats marinhos e estuarinos, e as fêmeas só vêm à praia para desovar. O seu potencial de reprodução é extremamente baixo; as fêmeas põem em média quatro ninhadas de ovos e posteriormente passam por um período de aquiescência no qual não põem ovos durante dois ou três anos. A tartaruga-marinha-comum atinge a maturidade sexual entre os 17 e os 33 anos e a sua expectativa de vida é de 47 a 67 anos.


Leia também:


Anatomia geral


As tartarugas adultas medem em média 90 cm de comprimento e têm um peso médio de 135 kg, embora também se tenham registado exemplares maiores com um comprimento de até 213 cm e um peso de até 545 kg. A cor da pele varia entre amarelo e castanho, e a carapaça é tipicamente castanha–avermelhada. A diferença mais notável entre fêmeas e machos é que os machos têm caudas mais grossas e carapaças mais curtas do que as fêmeas. Não existe dimorfismo sexual entre as fêmeas e machos juvenis.


Alimentação


É uma espécie omnívora, que se alimenta principalmente de invertebrados que vivem no leito marinho. As suas mandíbulas são grandes e poderosas e servem como uma ferramenta eficaz para desfazer as presas. As tartarugas recém-nascidas têm vários predadores e os ovos são especialmente vulneráveis aos predadores e organismos terrestres. Quando atingem a idade adulta, o seu enorme tamanho faz com que os seus predadores se limitem basicamente aos grandes animais marinhos, como os tubarões.


Predadores


A tartaruga marinha comum tem vários predadores, especialmente nos primeiros anos de vida. Entre os predadores de ovos e de recém-nascidos estão vermes oligoquetas, escaravelhos, larvas de moscas, formigas, larvas da vespa parasitaria, moscas da carne, caranguejos, patos, serpentes, gaivotas, córvidos, sarigueias, ursos, ratos, armadilhos, mustelídeos, doninhas fedorentas, canídeos, procionídeos, gatos, porcos e seres humanos.


Durante a migração dos ninhos até ao mar, as crias são capturadas por caranguejos, sapos, lagartos, serpentes, aves como fregatas e outras, e mamíferos. No oceano, os predadores das crias acabadas de nascer são essencialmente peixes, como os peixes-papagaio e moreias, e caranguejos portunídeos. Raramente os adultos são atacados devido ao seu tamanho, no entanto podem ser presas de tubarões, pinípedes, e orcas. Cerca de 40% das fêmeas que aninham possuem ferimentos que foram provavelmente causados por ataques de tubarão. As fêmeas que desovam são atacadas por moscas da carne, cães selvagens e seres humanos. Os mosquitos dos pântanos salgados também podem incomodar a fêmeas durante a desova.

Comentários