A Ordem dos insetos Diptera: moscas

Muitos podem achar as moscas nojentas e repulsivas, mas algumas que você verá aqui vão te surpreender, pois nem todas ficam voando no lixo.


Os Diptera


Os dípteros (Diptera, do grego δίπτερα: di = duas, ptera = asas) é a quarta ordem mais diversa pertencente à classe dos insetos (atrás apenas dos coleópteros, dos lepidópteros e dos himenópteros), com aproximadamente 150 mil espécies descritas em 158 famílias, sendo cerca de 8,7 mil presentes em território brasileiro. Deste grupo fazem parte moscas, mosquitos, varejeiras, pernilongos, borrachudos e mutucas.


Estes insetos são caracterizados por possuir apenas um par de asas para voo, enquanto o segundo par, comum às outras ordens de insetos, que apresentam dois pares de asas, é reduzido e modificado em halteres que auxiliam no controle de equilíbrio do voo. São insetos holometábolos, ou seja, apresentam ciclo de vida com metamorfose completa, com fase de ovo, larva, pupa e adulto.


Leia também:


Espécies de moscas


Agora vamos ver algumas espécies de moscas:


Mutuca (Tabanus sudeticus)


Imagem de Erik Karits por Pixabay


Estas moscas têm surpreendentes olhos compostos, com verde e púrpura iridescentes. As fêmeas alimenta-se de sangue para suprir seus ovos  em desenvolvimento com proteína. Elas coam em silêncio, ao contrário dos mosquitos, pousando rápida e suavemente antes de aplicar uma dolorosa picada. Também possuem um ferrão proeminente no terceiro segmento da antena.


 
https://www.youtube.com/channel/UCdjF1j_jYXGznBq955YWDoQ


Mosca-de-São-Marcos (Bibio marci)


Imagem de Radfotosonn por Pixabay


Assim designada por causa do dia de São Marcos (25 de abril), quando enormes encames dessas moscas pretas descem sobre os arbustos, na primavera europeia. Suas patas oscilam livremente criando uma aparência perigosa, mas elas são inofensivas. Procriam em vegetação apodrecida e no solo. As larvas alimentam-se de raízes de plantas, enquanto os adultos alimentam-se de matéria em decomposição.


Leia também:


Mosca-da-carne (Sarcophaga carnaria)


Imagem de Sven Lachmann por Pixabay


Um dos grupos de moscas em patas muito compridas e olhos vermelhos. Os adultos alimentam-se de flores, mas são atraídos por carne em decomposição e esterco. A fêmea da á luz os fetos, sem pôr ovos, no esterco ou em carne em decomposição. As larvas alimentam-se de material apodrecido.


Mosca-zangão (Eristalis tenax)


Imagem de Vasil Tanev por Pixabay


Seu nome vem de sua semelhança com o macho da abelha melífera. Ela gosta dos dias quentes e ensolarados, quando voa como setas e paira no ar, alimentando-se de néctar. Tem uma larga lista escura na cara e "pelos" (no caso seriam pequenas cerdas, quem tem pelos são mamíferos) nas patas posteriores. A larva vive na água estagnada. Ela não ferroa nem pica.


Leia também:


Mosca-guindaste (Tipula maxima)


Imagem de Anna Sulencka por Pixabay


Uma das maiores moscas da Europa, esta espécie é identificada "pelo" padrão de sua asas. O macho tem um abdome robusto, enquanto a fêmea apresenta abdome alongado. As larvas vivem no lodo das margens de córregos e lagos. Elas repousam com as asas bem separadas, nunca juntando-as cima de seu corpo.


Mosca-abelha (Bombylius major)


Imagem de FRANCO PATRIZIA por Pixabay


Fácil de identificar, tem uma probóscide comprida, usado para investigar as flores à procura de néctar. O som que produz parece com o de uma abelha e, por isso, é frequentemente confundida com aquela. É inofensiva e coberta de "pelos" com desenhos marrons nas asas. Seus ovos são depositados, e enquanto larva para se desenvolver nos ninhos de abelhas e vespas solitárias.


Leia também:


Mosca-do-esterco (Scathophaga stercoraria)


Imagem de Francisco Leão por Pixabay


Esta mosca fervilha no esterco fresco e muitas vezes copula enquanto pelo menos uma ainda está se alimentando. Os ovos são depositados no esterno e as larvas desenvolvem-se rápido. A fêmea tem menos "pelos" dourados, mas ambos tem antenas pretas. Os adultos alimentam-se de moscas atraídas para o esterco, enquanto as larvas alimentam-se do próprio esterco.


Mosca-ladrão (Asilus crabroniformis)


Imagem de Erik Karits por Pixabay


Mocas predatória que muitas vezes captura insetos maiores que elas, atacando por cima e suando vigorosas partes da boca. Perfura a vítima e suga o líquido de seu corpo. Tem cerdas para proteger os olhos do ataque de suas vítimas.

Comentários