Os fósseis de Equinodermos: Crinoides

Agora vamos a um grupo pouco falado de invertebrados, e ainda menos falado são seus fósseis.


Os Lírios-do-mar


Crinoidea (do grego krinon, lírio + eidos, forma + ea, caracterizado por) é uma classe de equinodermos que inclui os organismos conhecidos como crinoides, lírios-do-mar e comatulídeos. Os Crinoides recentemente foram denominados os ancestrais comum da classe dos Equinodermos. Os crinoides são animais exclusivamente marinhos que ocupam todas as profundezas até aos 6000 metros. Atualmente, a classe conta com apenas algumas centenas de espécies mas o registo geológico mostra uma biodiversidade muito maior dentro do grupo.

O modo de vida dos crinoides é variável. Algumas espécies vivem fixas a um substrato por um pedúnculo durante todo o ciclo de vida; outras podem apresentar fase adulta ou larvar de vida livre. Os crinoides são organismos que se alimentam por filtração semelhante a uma planta mais do que um animal, lírios do mar são alguns dos animais mais atraentes, porém menos conhecidas dos oceanos profundos.

FÓSSEIS DE CRINOIDES


Esse será outro grupo que tem poucos fósseis descobertos, então vamos a eles:

Uintacrinus sp.


Fonte da imagem: Wikipedia/James St. John (jsj1771) https://www.flickr.com/people/jsjgeology/


Este é um gênero extinto de crinoides do Cretáceo do Kansas . Era incomum entre os crinóides porque não tinha caule e provavelmente flutuava acima do fundo do mar. Viveu no Western Interior Seaway . Este crinoide era um animal colonial com dez longos braços cada um que usava para capturar suas presas.


Cyathocrinites sp.


Fonte da imagem: Wikipedia/James St. John - Cyathocrinites multibrachiatus fossil crinoid (Mississippian; Crawfordsville, Indiana, USA) 2


Esse era um crinoide comum do Paleozoico, tem um cálice globular e braços ramificados com uma única filiera de discos, como se pode observar na foto. Os crinoides dotados de talos como este dominavam nos antigos mares do Paleozoico, mas hoje foram substituídos por gêneros móveis sem talos. Os crinoides com talos só são encontrados em recifes profundos das regiões tropicais.

Leia também:

Botryocrinus sp.


Fonte da imagem: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Os crinoides tiveram mais sucesso que seus parentes próximos, cistóides e blastóides, superando-os em cerca de cinco para um em termos de gênero de fósseis, totalizando mais de 750 gêneros. Só os crinoides sobreviveram às extinções maciças no fim do Permino.

Leia também:

Pentacrinites sp.


Fonte da imagem: Wikipedia/Ghedoghedo

Este é um gênero extinto de crinoides que viveu do Hettangian ao Bathoniano da Ásia , Europa , América do Norte e Nova Zelândia . Suas hastes são pentagonais a em forma de estrela em seção transversal e são as partes mais comumente preservadas. Os pentacrinitas são comumente encontrados no leito de pentacrinitas do Jurássico Inferior (Lower Lias) de Lyme Regis , Dorset, Inglaterra. Pentacrinitas pode ser reconhecido pelas extensões (ou cirros) ao redor do caule, que são longas, não ramificadas e de comprimento crescente mais para baixo, a taça muito pequena e 5 braços longos que se ramificam livremente.

Leia também:

Saccocoma sp.


Fonte da imagem: Wikipedia/Smokeybjb

Este gênero extinto de crinoides que viveram desde o Jurássico ao Cretáceo Inferior na Europa e América do Norte . Ele contém pelo menos duas espécies.

Comentários