Espécies ameaçadas de extinção: Condor-da-califórnia

Para muitos os condores, abutres e urubus são aves horríveis e de mal agouro, por serem animais que comem carniça. Mas esse é o motivo de serem tão importantes.


Fonte da imagem: Wikipedia/USGov-FWS - images.fws.gov


✅ Canal no Youtube | Inscreva-se AGORA ✅

https://www.youtube.com/channel/UCdjF1j_jYXGznBq955YWDoQ?sub_confirmation=1


O condor-da-califórnia ou condor-californiano (Gymnogyps californianus) é uma ave da família Cathartidae. São aves nativas da América do Norte, sendo atualmente encontrado somente na região do Grand Canyon e das montanhas do oeste da Califórnia, nos Estados Unidos, e ao norte da Baixa Califórnia, no México. Apesar de outros membros fósseis serem conhecidos, é a única espécie sobrevivente do gênero Gymnogyps.


Leia também:


Características morfológicas dos condores-da-califórnia


A maior parte de sua plumagem é uniformemente negra, exceção feita apenas às manchas brancas situadas na parte inferior das asas. A cabeça, desprovida de penas, normalmente possui uma tonalidade amarelada, podendo tornar-se avermelhada ou arroxeada, dependendo do humor da ave.


Esses condores possuem a maior envergadura dentre todas as aves da América do Norte, chegando a 3 metros, e está entre as mais pesadas do continente, variando de 8.2 -14.1 kg. É detritívora, ou seja, alimentando-se de grandes quantidades de carniça. Apresenta uma das maiores expectativa de vida entre as aves, podendo ultrapassar os 50 anos.


Leia também:


Taxonomia e biologia


O condor-da-califórnia foi descrito pelo naturalista inglês George Shaw em 1797, como Vultur californianus. Originalmente, pertencia ao mesmo gênero do condor-dos-andes (V. gryphus). No entanto, devido a pequenas diferenças no tamanho da envergadura, nas marcas pelo corpo, e pela tendência de matar animais para comer, o condor-dos-andes passou a consistir em um gênero monoespecífico. O nome Gymnogyps é derivado do grego gymnos (nu) e gyps (abutre), enquanto que californianus advém do local onde a ave é encontrada.


Os condores, assim como os urubus, apesar de serem conhecidos também por abutres do novo mundo, são, segundo a nova Taxonomia de Sibley-Ahlquist, mais próximos às cegonhas do que aos abutres propriamente ditos.


Leia também:


Motivos do risco de extinção do Condor-da-Califórnia


Na época do assentamento dos humanos nas Américas, o condor-da-califórnia possuía vasta distribuição na América do Norte. Neste período, a espécie podia ser encontrada no Arizona, Nevada, Novo México e Texas. Contudo, mudanças climáticas, associadas ao fim da última era glacial e à extinção da megafauna do Pleistoceno, levaram à subsequente redução do alcance e da população do condor.


O número de condores-da-califórnia foi drasticamente reduzido durante o século XIX, devido à caça, saturnismo e destruição de habitat. Encontra-se na lista vermelha da IUCN, e seu status atual é "criticamente em perigo". A espécie já foi considerada extinta em estado selvagem entre 1987 e 1992.


Nos tempos atuais, uma ampla variedade de causas contribuiu para o declínio das populações dos condores-da-califórnia. Seu exigente habitat de reprodução e baixas taxas de nascimento resultantes, combinados com uma tardia idade de amadurecimento sexual, tornam a espécie vulnerável à perda de população. Esta redução é atribuída também à caça ilegal, especialmente para serem utilizados como peças de museus, ao envenenamento por chumbo e por DDT, às linhas de transmissão de energia elétrica, à coleta dos ovos e à destruição de habitat. Durante a corrida do ouro na Califórnia, exemplares de condor-da-califórnia foram capturados como animais de estimação.

Comentários