Os fósseis de Peixes: Condrictes e Osteíctes

Os peixes são divididos em dois grandes grupos, os Condrictes e Osteíctes, ou peixes ósseos e cartilaginosos.


Diferenças entre peixes ósseos e cartilaginosos


Podemos classificar os peixes em dois grandes grupos bastante diferentes entre si: os condrictes (peixes cartilaginosos) e os osteíctes (peixes ósseos). Apesar de algumas diferenças gritantes, é comum fazermos confusões ao diferenciar os dois grupos.


Vale destacar que podemos encontrar alguns representantes que fogem às regras. Primeiramente podemos diferenciar os dois grupos pelo esqueleto. Os peixes cartilaginosos possuem esqueleto constituído totalmente por cartilagem, enquanto os peixes ósseos possuem esqueleto constituído basicamente por ossos. Outra diferença marcante diz respeito às brânquias. Os peixes ósseos possuem uma membrana que recobre as fendas branquiais, enquanto os peixes cartilaginosos possuem suas brânquias expostas, sem nenhuma proteção. As escamas também podem ser usadas na diferenciação desses dois grupos. Enquanto os peixes cartilaginosos possuem escamas placoides e de origem dérmica e epidérmica, os peixes ósseos apresentam escamas de origem exclusivamente dérmica. Observando a boca, também é possível verificar uma diferença. Enquanto os peixes cartilaginosos possuem uma boca ventral, os peixes ósseos apresentam sua boca na região anterior do corpo.


Leia também:


Fósseis de peixes: condrictes e osteíctes


O registro fóssil de peixes é um dos mais famosos, então vamos a alguns deles:


Acanthonemus sp.


Fonte da imagem: Wikipedia/Author Hectonichus


Este peixe fóssil, raridade em camadas do Terciário, parece estar relacionado aos pampas e às cavalas e é classificado entre os perciformes. O gênero é encontrado entre o Eoceno e o Oligoceno, em sedimentos europeus.


✅ Canal no Youtube | Inscreva-se AGORA ✅

https://www.youtube.com/channel/UCdjF1j_jYXGznBq955YWDoQ


Prolates sp.



O Prolates é um dos primeiros exemplares da ordem dos perciformes que hoje constitui a maior ordem de vertebrados do mundo. Inclui peixes familiares como o peixe-lua, a perca, o lúcio.


Leia também:


Gosnitichthys sp.


Fonte da imagem: Guia Prático-Fósseis.


Os folhelhos do Green River no Wyoming são formosos pela quantidade e qualidade de sua produção de fósseis de peixes com ossos. Neste exemplo, um cardume de pequenos G. paruns fossilizados ao morre. O alinhamento de vários peixes indica uma possível corrente de água ou a ação das ondas antes de os peixes serem enterrados.


Leia também:


Latimeria sp.


Fonte da imagem: twitter.


Considerado extinto há 30 milhões de anos, um espécime foi pego em uma rede na África do Sul em 1938. Muitos outros foram depois pescados. Este espécime tem a marca registrada de seus ancestrais fossilizados, nadadeiras lobuladas. O Latimeria é ancestral direto dos primeiros vertebrados terrestres.


Leia a história completa da descoberta desse fóssil vivo:


Odontaspis sp.


Fonte da imagem: Wikipedia/Hectonichus - Own work


Os tubarões de areia do gênero Odontaspis tem dentes curvos e longos, em geral encontrados em praias oceânicas, especialmente na Flórida. A quantidade de dentes fossilizados pode dar uma ideia falsa do número de tubarões nos mares do Cenozoico. Os tubarões perdem seus dentes constantemente; assim, um único tubarão produz centenas deles durante a vida.


Leia também:


Carcharodon sp.


Fonte da imagem: Wikipedia/Spotty11222 em Wikipédia em inglês - Transferido de en.wikipedia para a wiki Commons por FunkMonk utilizando CommonsHelper.


O tamanho, a forma e as beiradas em serra deste dente mostram que ele pertencia ao C. megalodon, parente do grande tubarão branco moderno do Cenozoico. Comparando o tamanho dos dentes do C. megalodon com o dos tubarões brancos, acredita-se que as espécies extintas atingiam no mínimo 15 m.

Comentários