Periquitos encantadores

As aves são belas, dentro delas tem uma família maravilhosa, a Psittacidae, que no qual pertencem os papagaios, periquitos, araras e cacatuas.

Os Psittacidae são algumas das aves mais inteligentes e que possuem o cérebro mais desenvolvido. Têm a capacidade de imitar, com grande fidelidade, todos os tipos de som, inclusive palavras. São animais longevos, cujas espécies maiores podem viver mais de 50 anos. São, sem dúvida, um grupo de aves distintas das demais, tendo uma série de características específicas.



Agora vejam alguns periquitos encantadores:

Periquito-de-encontro-amarelo


Periquito-de-encontro-amarelo
Periquito-de-encontro-amarelo (Brotogeris chiriri). Foto: Cleverson Felix.

O periquito-de-encontro-amarelo (Brotogeris chiriri) é uma ave psittaciforme da família Psittacidae. Também conhecido como periquito-de-asa-amarela e periquito-estrela. Para os desavisados será considerado como sendo o periquito-rico (Brotogeris tirica), com o qual é extremamente parecido, exceto pela marca amarela no ombro. Para complicar é comum vê-lo na cidade de São Paulo junto a esses periquitos. Torna-se a espécie predominante mais para o norte e oeste do estado.



Nome científico: Brotogeris chiriri
Distribuição: Brasil, Bolívia, Paraguai, Peru e Argentina.
Habitat: Florestas e cidades.
Alimentação: Alimenta-se de frutos, sementes, flores e néctar.

Periquito-barrado


periquito-barrado
Periquito-barrado (Bolborhynchus lineola). Fonte da imagem: Wikipedia.

O Periquito-barrado (Bolborhynchus lineola) tem um tamanho de um pardal. A cauda e as asas são pontiagudas. Sexos ligeiramente diferentes: nos machos, o olhos são castanhos, e o anel do olho cinza, o pico e o pernas Carne-colorido. O cabeça e o partes inferiores são verde-claro, com uma tênue radiante nas laterais e o cauda.



Nome científico: Bolborhynchus lineola
Tamanho: 17 cm
Distribuição: México, Panamá, Peru e Colômbia.
Habitat: em cavidades de árvores nas florestas no meio de montanhas, geralmente em grupos.
Alimentação: aveia, painço, sementes de girassol, nozes, ramos frescos, frutas e insetos.

Periquito-de-Bourke


Periquito-de-Bourke
Periquito-de-Bourke (Neophema bourkii). Pixabay/Domínio Público.

O periquito-de-Bourke, também conhecido como papagaio de ventre azul, papagaio do pôr-do-sol, papagaio-de-barriga-rosa, periquito de Bourke, Bourke ou Bourkie, é um pequeno papagaio encontrado na Austrália e a única espécie do gênero Neophema. Tem aproximadamente 19 cm de comprimento e pesa cerca de 45 gramas.



Nome científico: Neophema bourkii
Tamanho: 21 cm
Distribuição: Austrália Central
Habitat: áreas tipo pradaria que produzem arbustos de acácia. A espécie vive em pequenos bandos que fazem ninhos em buracos de árvores.
Alimentação: sementes, frutos, insetos.

Periquito-de-asa-vermelha


periquito-de-asa-vermelha
Periquito-de-asa-vermelha (Aprosmictus erythropterus). Fonte da imagem: Wikipedia

O periquito-de-asa-vermelha, é um papagaio nativo da Austrália e da Papua-Nova Guiné. É encontrado em pastagens, savana, terras agrícolas e bosques. O macho é verde brilhante, mais escuro no dorso e as rêmiges são vermelhas brilhantes. A fêmea tem somente uma pequena mancha vermelha. Os adultos não vivem bem em comunidade. Fazem ninhos nos buracos de árvores especialmente em eucaliptos.



Nome científico: Aprosmictus erythropterus
Tamanho: 33 cm
Distribuição: Nordeste da Austrália e Nova Guiné.
Habitat: Clareiras de florestas
Alimentação: sementes e nozes.

Caturrita


Caturrita
Periquito-monge (Myiopsitta monachus). Pixabay/Domínio Público.

A caturrita ou periquito-monge, também conhecida como catorra ou cocota, é uma ave da família Psittacidae. A caturrita é nativa das regiões subtropical e temperada da América do Sul. São encontradas nos pampas à leste dos Andes na Bolívia, Paraguai, Uruguai e sul do Brasil até a região da Patagônia na Argentina.



Nome científico: Myiopsitta monachus
Tamanho: 30 cm
Distribuição: Brasil, Argentina, Nova York, Nova Jersey, Flórida, Virginia.
Habitat: planícies, florestas, fazendas, savanas, matas, pomares.
Alimentação: grãos mistos, frutas, cenoura, verduras.

Para finalizar veja um vídeo do nosso canal BioOrbis🐦 As AVES do Museu de História Natural da UFMG - Parte #1:


Comentários