Açor: a maior e mais rara ave de rapina dos Acipitrídeos

O açor, do latim acceptore, significando que voa rapidamente, é uma ave de rapina da família Accipitridae, distribuída por todas as regiões temperadas do hemisfério norte.

 https://curiosidadeanimal.bioorbis.org/2019/10/acor-maior-rara-ave-de-rapina.html
Açor (Accipiter gentilis). Imagem de ASSY por Pixabay


Nome científico: Accipiter gentilis
Família: Accipitridae
Plumagem: parda em cima, cinza-clara embaixo, estria do olho branca.
Área de ocorrência: Marrocos, Eurásia e América do Norte.
Alimento: esquilos, galináceos, piciformes, como pica-paus, e pássaros.
Ninho: estrutura de gravetos no alto das árvores.
O açor é uma bela ave de rapina, sendo ele o maior e mais raro dos Acipitrídeos. Maior que os corvos, é caçador rápido e hábil, corpulento e com ampla cauda. Bate lenta, profunda e poderosamente as asas. Não toleta a intrusão humana, gosta de lugares ermos.

O arquipélago dos Açores deve o seu nome ao açor, porque quando os descobridores do arquipélago lá chegaram pensaram ver açores. Mais tarde, concluiriam que as aves eram, afinal, uma sub espécie local da águia de asa redonda, apelidadas hoje em dia pelos Açorianos de "milhafres" ou "queimados".


Outra teoria aponta que o Açores provém do nome Azzurro em italiano ou Azureus em latim, que significa Azul em português, como referência ao céu azul num dia brilhante e claro aquando da descoberta ao longe das ilhas. Esta teoria é sustentada por uma outra que afirma que as ilhas dos Açores já apareciam inclusive em portulanos genoveses do século XIV.

Para finalizar veja um vídeo do nosso canal BioOrbis, sobre 🐦 As AVES do Museu de História Natural da UFMG - Parte #1:

Comentários