Águias: as aves de rapina poderosas dos céus

Águia é o nome comum dado as aves de rapina da família Accipitridae, geralmente elas são grande porte, carnívoras, e possuem grande acuidade visual.


As águias são atribuídas a animais pertencentes a vários gêneros e não corresponde a nenhum clado taxonômico. Por vezes, dentro de um mesmo gênero ocorrem espécies conhecidas popularmente por gavião ou búteo.



As águias tem como suas principais presas: coelhos, esquilos, cobras, marmotas e outros animais, principalmente roedores, de pequeno porte. Algumas espécies alimentam-se de ovos de outros pássaros e peixes.



As águias costumam fazer seus ninhos em locais altos como, por exemplo, topo de montanhas e árvores de grande porte. Existem diversas espécies de águias, as mais conhecidas são: Águia-de-cabeça-branca, águia-gritadeira, águia marcial, águia-malaia, águia-dourada-européia e águia-imperial-ibérica. Entre as águias da America Latina, a espécie chamada Harpia (descubra uma postagem somente sobre ela neste link: https://www.bioorbis.org/2018/10/harpia-rainha-florestas.htmlé umas das maiores e chega a pesar até 8 kg, comprimento de até um metro, com envergadura de até dois metros, põe até três ovos a cada vez, com tempo de incubação de 35 dias, e atinge a velocidade de aproximadamente 100Km/h.



As águias vive, em média, de 50 a 65 anos em cativeiro, já em seu habitat natural podem viver menos que essa idade.

ÁGUIAS SIMBOLO DE GRANDEZA E PODER


Águias costumam ser utilizados como símbolos em vários contextos e culturas. A águia pode ser encontrada, simbolicamente, representando força, grandeza e majestade. Foi muito usada em brasões de exércitos, figurando nos estandartes de Ciro II, rei dos Persas, e, mais tarde, durante o segundo consulado de Mário, encimando as lanças como insígnias das legiões. Na simbologia cristã, aparece como possível símbolo de pessoa muito perspicaz, penetrante, que vê longe, superior em inteligência. Representava também Zeus o rei dos deuses na mitologia grega.



Agora vamos ver algumas espécies de águias majestosas:

Águia-pescadora (Pandion haliaetus)


A magnífica águia-pescadora (Pandion haliaetus). Pixabay/Domínio Público.

Família: Pandionidae
Plumagem: branca embaixo, marrom em cima; estrias escuras atrás dos olhos e asas estriadas.
Área: cosmopolita, existente em todos os continentes
Alimento: peixes, capturados ao mergulhar.
Ninho: ampla base de gravetos construída em árvores ou em estruturas feitas pelo homem.
Ovos: 2 a 4, com coloração branca, cobertos de nódoas marrons.



A águia-pescadora caça pairando bem alto, acima da água, e então mergulha, colocando primeiro os pés na água, para pescar. Suas penas são oleosas e quase repelem a água. Os pés são cobertos de pequenas espículas que lhe permitem agarrar com firmeza a presa escorregadia. O número de indivíduos na natureza declinou devido à ingestão de peixes contaminados com produtos tóxicos. Está sob proteção especial na Escócia, onde seu número está aumentando.

Águia-careca-americana (Haliaeetus leucocephalus)


A magnifica águia-careca-americana (Haliaeetus leucocephalus). Imagem de skeeze por Pixabay.

Família: Accipitridae.
Plumagem: cabeça e cauda brancas e corpo escuro.
Habitat: grandes lagos, Canadá e região ocidental dos EUA.
Alimento: peixe, aves, mamíferos e carniça.
Ninho: gravetos no alto de grandes árvores.
Ovos: 2 brancos por ninhada.


Famosa por sua poderosa imagem, ainda está ameaçada, embora seus números venham crescendo. Pesticidas e a prática ilegal de caça reduziram a população. Hoje, competem por alimento em áreas de recreação com muita água e teme-se que a perturbação dos humanos cause nova redução do número de espécimes.

Açor (Accipiter gentilis)


Açor (Accipiter gentilis). Imagem de ASSY por Pixabay

Família: Accipitridae
Plumagem: parda em cima, cinza-clara embaixo, estria do olho branca.
Área de ocorrência: Marrocos, Eurásia e América do Norte.
Alimento: esquilos, galináceos, piciformes, como pica-paus, e pássaros.
Ninho: estrutura de gravetos no alto das árvores.
Ovos: 2 a 4 por ninhada, quase brancos.

O açor é uma bela ave de rapina, sendo ele o maior e mais raro dos Acipitrídeos. Maior que os corvos, é caçador rápido e hábil, corpulento e com ampla cauda. Bate lenta, profunda e poderosamente as asas. Não toleta a intrusão humana, gosta de lugares ermos. O arquipélago dos Açores deve o seu nome ao açor, porque quando os descobridores do arquipélago lá chegaram pensaram ver açores. Mais tarde, concluiriam que as aves eram, afinal, uma sub espécie local da águia de asa redonda, apelidadas hoje em dia pelos Açorianos de "milhafres" ou "queimados".


Outra teoria aponta que o Açores provém do nome Azzurro em italiano ou Azureus em latim, que significa Azul em português, como referência ao céu azul num dia brilhante e claro aquando da descoberta ao longe das ilhas. Esta teoria é sustentada por uma outra que afirma que as ilhas dos Açores já apareciam inclusive em portulanos genoveses do século XIV.

Águia-dourada (Aquila chrysaetos)


Águia-dourada adulta (Aquila chrysaetos). Image by Kevsphotos from Pixabay

Família: Accipitridae
Plumagem: Adulto - marrom, com penas do pescoço douradas; Jovem - pardo com penugens brancas.
Área de distribuição geográfica: América do Norte, México, Japão, Escócia, Rússia e Europa.
Alimentação: mamíferos grandes e pequenos, aves, répteis e até carniça.
Ninho: gravetos em penhascos.
Ovos: 2, normalmente um ovo apresenta uma coloração mais marrom.


Uma das águias mais magníficos do mundo, vivendo em quase todo o hemisfério Norte e é uma espécie de grande porte, forte e agressiva. Embora habite áreas abertas nas montanhas, voa para as cidades para caçar, sendo esquilos e lebres sua presa mais comum. Possui uma plumagem marrom, com nuanças douradas na cabeça e na nuca, dia vem o nome comum de águia-dourada. As asas podem alcançar até dois metros de comprimento, de ponta a ponta.

Caracará (Caracara plancus)


Caracará (Caracara plancus). Image by Denis Doukhan from Pixabay

Família: Falconidae
Plumagem: Corpo escuro, cabeça clara e crista preta, cauda rajada, fase alaranjada junto com o bico forte. Manchas brancas nas asas.
Área de distribuição geográfica: Flórida, Texas, EUA, Brasil até a Terra do Fogo.
Alimentação: carniça e mamíferos
Ninho:gravetos em árvores altas
Ovos: 2 a 3 com manchas camurça, marrom e ferrugem.


É da família dos falcões, mas bem diferente dos outros membros elegantes da família se aparentando mais a uma águia. Apresenta pernas, asas e pescoço longos e bico forte. Os adultos possuem a coroa preta e densa. Geralmente, procuram carniça para se alimentar, em vez de caçar.

Comentários