Descubra 8 tarântulas mais incríveis do reino animal

A família Theraphosidae, inclui as espécies de aranhas conhecidas pelos nomes comuns de tarântulas ou caranguejeiras , que se caracterizam por terem pernas longas com duas garras na ponta, e corpo revestido de cerdas.

As tarântulas habitam as regiões temperadas e tropicais das Américas, Ásia, África e Oriente Médio. Enquanto crescem, têm uma fase de troca de pele chamada ecdise. Apesar do tamanho e aspecto sinistro, as tarântulas não são perigosas para a espécie humana, uma vez que não produzem toxinas nocivas aos humanos, por isso são eventualmente criadas como animais de estimação.




Uma de suas defesas são os pelos urticantes de suas costas e abdômen, que irritam a pele do possível predador. Em média atingem de 15 cm a 25 cm de comprimento com as pernas estendidas, mas existem espécies que podem chegar até 30 cm, como é o caso da tarântula-gigante-comedora-de-pássaros (Theraphosa blondi) da América do Sul, que veremos na segunda da nossa lista.

Origem do nome "tarântula"


A aranha originalmente chamada de "tarântula" foi a espécie Lycosa tarantula, uma aranha lobo da família Lycosidae nativa da Europa mediterrânica. O nome deriva da cidade portuária do sul da Itália, Tarento, região onde estas aranhas são facilmente encontradas e que, posteriormente, foi aplicado a quase todas as espécies de aranhas de grande porte, especialmente a família das Mygalomorphae, das regiões mais quentes da América e as Theraphosidae.




Durante muito tempo acreditou-se, no sul da Europa, que uma pessoa picada pela tarântula seria tomada de extrema melancolia e poderia mesmo morrer se não se entregasse a uma dança frenética, a tarantela, capaz de eliminar o veneno pela transpiração.


Tanto o nome do agente causador do suposto distúrbio quanto o da dança derivam do topônimo da cidade italiana. O termo vem do latim tarento, de origem grega Taras (do genitivo tarantos, provavelmente a partir da ilíria darantos, que significa "carvalho"), personagem da mitologia grega fundador da colonia grega de Taras (Tarentum, a moderna cidade de Taranto).

AS 8 TARÂNTULAS MAIS INCRÍVEIS DA NATUREZA


1 - Aranha Aviculária (Avicularia avicularia)


A aranha Aviculária (Avicularia avicularia). Imagem de Danny de Bruyne por Pixabay

Nome científico: Avicularia avicularia
Tamanho médio da fêmea: 50 mm.
Tamanho médio do macho: 35 mm.
Habitat: árvores e tocos de árvores ocos em florestas úmidas.
Ocorrência: Guiana, Brasil, Venezuela, Trinidad.

Essa aranha tem esse nome pois é muito conhecida por causa de seus "dedos do pé" alaranjados e cor-de-rosa. Seu abdome e carapaça são cobertos por pelos compridos. Constrói seu ninho de seda nas folhas das bananeiras para pegar pássaros empoleirados, mas na maioria das vezes comem rãs arborícolas e também outros insetos. As fêmeas podem chegar a viver até 30 anos, os machos vivem em média 5 anos.


Essa tarântula costuma viver em árvores, podendo também ser encontrada em casas e regiões rurais. Com temperatura entre 23°C e 29°C e umidade entre 75% e 85%, Também muito encontradas na Mata Atlântica de Norte a Sul.

2 - A aranha-golias (Theraphosa blondi)


A aranha-golias (Theraphosa blondi). Imagem de Michael Kleinsasser por Pixabay.

Nome científico: Theraphosa blondi
Tamanho da fêmea: 90 mm.
Tamanho do Macho: 85 mm.
Habitat: florestas tropicais em toas profundas.
Ocorrência: Venezuela, norte do Brasil, Guiana e Suriname.

É considerada o maior aracnídeo do mundo, em massa corporal. Apenas no quesito envergadura, considera-se normalmente a espécie Heteropoda maxima como mais comprida que a aranha-golias. Conhecida também como aranha-golias ou tarântula-golias, é popular entre criadores de aranhas. Estes aracnídeos podem ter mais de 30 centímetros e é uma espécie que, por ter comportamento agressivo, só deve ser manipulada por pessoas especializadas.


Estas aranhas possuem órgãos estriduladores, o que as permite fazer um barulho esfregando partes do corpo quando se sente ameaçada. Seu abdômen é extremamente urticante e sua picada é muito dolorosa devido ao tamanho de suas quelíceras, localizadas ao lago da boca (podem passar de dois centímetros de comprimento). Esses aranhas podem viver mais de dez anos.

3 - Caranguejeira preta-e-branca indiana (Poecilotheria regalis)


A caranguejeira preta-e-branca indiana (Poecilotheria regalis) Imagem de Danny de Bruyne por Pixabay

Nome científico: Poecilotheria regalis
Tamanho da fêmea: 65 mm.
Tamanho do macho: 50 mm.
Habitat: Florestas tropicais e casas.
Ocorrência: Ásia.


Esta aranha tem um padrão muito atraente, mais ainda que o da aranha zebra. Possui marcas amarelas nos dois primeiros pares de patas. O abdome tem uma faixa central creme com as bordas pretas. A carapaça é cinza com marcas creme. É muito popular e o preço de um exemplar adulto pode ser bem alto. É uma aranha de hábitos noturnos, vivendo em árvores, sendo seus ninhos geralmente construídos em buracos no chão da floresta.

4 - Tarântula-loira-mexicana (Aphonopelma chalcodes)


A tarântula-loira-mexicana. Fonte da imagem: arachnoboards.

Nome científico: Aphonopelma chalcodes
Tamanho médio da fêmea: 60 mm.
Tamanho médio do macho: 45 mm.
Habitat: lugares áridos, secos, com pouca umidade, principalmente desertos.
Ocorrência: Arizona, México.


A tarântula-loura-mexicana (Aphonopelma chalcodes), também conhecida como tarântula do deserto ocidental, tarântula loira do Arizona ou tarântula loira mexicana, é uma espécie de aranha pertencente à família Theraphosidae. Sua distribuição é limitada nos desertos do Arizona e em partes adjacentes do México, mas pode ser muito comum nessa faixa. O nome comum "tarântula loira" refere-se à carapaça , que é densamente coberta de pelos claros e contrasta fortemente com as pernas e o abdômen escuros.

    5 - Caranguejeira-rosa-chilena (Grammostola cala)


    Caranguejeira-rosa-chilena (Grammostola cala). Image by Simon Blüthenkranz from Pixabay

    Nome científico: Grammostola cala
    Tamanho da fêmea: 40 mm.
    Tamanho do macho: 35 mm.
    Ocorrência: Arizona, México.


    Hoje, devido ao grande número de espécimes capturados na natureza exportados mais barato do seu país natal, o Chile, para o comércio de animais. A espécie também é conhecida da Bolívia e Argentina. Esta bela espécie de caranguejeira (Grammostola cala) às vezes é conhecida como chilena-de-dorso-vermelho, para não ser confundida com a mortal australiana-de-dorso-vermelho, uma espécie próxima da mesma família ‎(Theraphosidae). Essas caranguejeiras vivem em tocas e gostam de lugares muito úmidos. Se alimentam de pequenos invertebrados. Apresenta suas cores marrom-claro e cor-de-rosa-claro.

    6 - Tarântula-zebra da Costa Rica (Aphonopelma seemanni)


    A tarântula-zebra da Costa Rica (Aphonopelma seemanni). Fonte da imagem: commons.wikimedia

    Nome científico: Aphonopelma seemanni
    Tamanho médio da fêmea: 60 mm.
    Tamanho médio do macho: 45 mm.
    Habitat: lugares áridos e secos.
    Distribuição geográfica: Costa Rica.

    A caranguejeira-zebra apesar do nome, esta tarântula é mais preta do que branca. As listas creme e brancas das patas dão-lhe o nome de zebra. É a caranguejeira mais conhecida na Costa Rica, vive em tocas e pode mover-se muito depressa. Sua toca chega a medir cerca de 12,5 cm de profundidade e sua entrada é cuidadosamente escondida entre as folhas.


    Com suas tocas profundas mantêm a temperatura abaixo das temperaturas diurnas mais altas e retêm a umidade. Por outro lado, à medida que as temperaturas caem à noite, as tocas se protegem das temperaturas mais baixas.

    7 - Caranguejeira-aveludada (Lyrognathus robustus)


    A caranguejeira-aveludada (Lyrognathus robustus). Fonte da imagem: exotic-animals.org

    Nome científico: Lyrognathus robustus
    Tamanho da fêmea: 50 mm
    Tamanho do macho: 35 mm
    Habitat: Florestas tropicais
    Ocorrência: Malásia.


    Essa caranguejeira vive em tocas no solo das florestas. Caça a noite, no chão onde suas presas estão a sua espera. A carapaça e o abdome são de coloração marrom-escura, as patas são de um marrom mais claro com riscas azuladas. Os dois pares de patas traseiras são muito mais peludos que os anteriores. Existem poucas informações sobre está espécie devido serem caçadoras noturnas e de florestas densas é difícil a sua localização em seu habitat natural.


      8 - Aranha-babuíno (Harpactira gigas)



      A aranha-babuíno (Harpactira gigas). Imagem de Danny de Bruyne por Pixabay

      Nome científico: Harpactira gigas
      Tamanho da fêmea: 50 mm
      Tamanho do macho: 40 mm
      Habitat: áreas gramadas, capim e vegetação rasteira
      Ocorrência: África do Sul.



      Pode ser encontrada na África do Sul, da província de Western Cape ao norte da província de Limpopo . A aranha-babuíno é reconhecida por um profundo sulco transversal no centro da carapaça. Nas fêmeas, a carapaça é cinza-escuro e abdome, amarelo-avermelhado. A carapaça do macho é escura com pelos avermelhados no abdome. Essas aranhas costumam cavar para fazer tocas, mas e conhecida por usar tocas vazias de outros animais. São raramente encontrada fora dessas tocas.

      Para finalizar veja um vídeo do nosso canal BioOrbis, sobre 🕷 Outras ARANHAS que podem ser perigosas:

       https://www.youtube.com/channel/UCdjF1j_jYXGznBq955YWDoQ

      Comentários