As serpentes da família Pythonidae: as cobras pítons

A família Pythonidae é composta por serpentes conhecidas popularmente como pítons.


O grupo inclui diversas espécies de cobras conhecidas por constritoras, incluindo a famosa píton-reticulada, classificadas em seis gêneros. A força de constrição de uma dessas cobras da família Pythonidae pode chegar aos 4.500 Kg (equivalente a um autocarro em cima das suas costelas) As cobras pítons podem ser encontradas na Austrália, África, Índia e Sudeste Asiático e variam entre 0,5 e 10 metros de comprimento. Algumas vezes as pítons indianas servem de presa para os tigres.

Agora vamos descobrir algumas espécies dessa família das pítons:

Píton-verde-arborícola (Morelia viridis)


Píton-verde-arborícola (Morelia viridis). Imagem de skeeze por Pixabay

Tamanho médio: 1,50 m
Habitat: florestas tropicais no alto das árvores
Distribuição: Nova Guiné
Alimentação: aves, mamíferos tais como morcegos. Os filhotes comem lagartos.
Reprodução: ovípara, até 26 ovos.

 
 https://www.youtube.com/channel/UCdjF1j_jYXGznBq955YWDoQ

Essa bela píton é verde com uma cauda longa e preênsil e cabeça larga. Tem fileiras de pequenos pontos brancos no dorso. Os filhotes são amarelos ou avermelhados, tornando-se verdes aos dois anos. Possui a fosseta labial ao invés da fosseta loreal.

Píton-das-crianças (Liasis childreni)


Píton-das-crianças (Liasis childreni). Imagem de Soundfrau por Pixabay

Tamanho médio: 1 m
Habitat: planícies e colinas, perto de afloramentos e bosques.
Distribuição: norte da Austrália
Alimentação: mamíferos pequenos, morcegos, rãs e lagartos.
Reprodução: ovípara, de 8 a 16 ovos.



É uma das menores pítons. Sua cabeça é estreita e o corpo delgado. Marrom-clara no dorso, quase branca no ventre. As escamas são grandes. Tanto o nome comum quanto o epíteto específico, childreni, que é conservado no nome científico atual, são uma homenagem ao mentor de Gray, John George Children, curador da coleção zoológica do Museu Britânico na época.

Píton-de-cabeça-preta (Aspidites melanocephalus)


Píton-de-cabeça-preta (Aspidites melanocephalus). Fonte da imagem: Wikipédia/djambalawa (talk)

Tamanho médio: 2,60 m
Habitat: pastagens e colinas tropicais e subtropicais
Distribuição: Austrália
Alimentação: cobras, aves ratitas e mamíferos pequenos.
Reprodução: ovípara, de 5 a 10 ovos.



Essa é uma píton com cabeça e pescoço lustrosos e pretos. O restante do corpo é amarronzado com linhas transversais escuras. Não possuem fosseta loreal. Essas cobras são terrestres e geralmente são encontradas entre rochas e detritos soltos. Se perturbados, eles sibilam alto, mas é improvável que mordam, a menos que caçam presas.

Píton-diamante (Morelia spilota)


Píton-diamante (Morelia spilota). Imagem de sipa por Pixabay

Tamanho médio: 2 m
Habitat: bosques, áreas rochosas
Distribuição: Nova Gales do Sul, Austrália.
Alimentação: mamíferos e aves
Reprodução: ovípara, ninhada de até 50 ovos



Esta píton é em geral, preta com uma mancha branca em quase todas as escamas. Algumas áreas são completamente pretas ou brancas. Descritas como semi-arbóreas, são em grande parte noturnas, subindo em árvores e arbustos e atravessando áreas abertas, como rochedos, pisos de florestas e até estradas.

Píton-tapete (Morelia spilotes variegata)


Píton-tapete (Morelia spilotes variegata). Fonte da imagem: Wikipédia/User:Haplochromis - Self-photographed

Tamanho médio: 4 m
Habitat: florestas, cerrados e áreas rochosas
Distribuição: Austrália e Nova Guiné
Alimentação: mamíferos e aves
Reprodução: ovípara, ninhada de até 50 ovos



Uma serpente em geral marrom ou cinza com faixas de cor mais clara ao longo do copro. Pode ter nódulos e listras irregulares. Existe uma variedade quase preta com faixas amarelas.

Píton-de-bruma (Python bivittatus)


Píton-de-bruma (Python bivittatus). Imagem de skeeze por Pixabay

Tamanho médio: 7 m
Habitat: florestas tropicais e campos abertos
Distribuição: Índia, Sri Lanka, Bruma, Tailândia
Alimentação: mamíferos e aves
Reprodução: ovípara, ninhada de até 70 ovos



Esta é uma píton bem grande amarelada com nódoas grandes castanhas. Tem uma marca escura em forma de arco no topo da cabeça e uma listra escura oblíqua em cada olho. É uma excelente nadadora e precisa de uma fonte permanente de água. Vive em pastagens, pântanos, pântanos, contrafortes rochosos, bosques, vales de rios e selvas com clareiras abertas. É uma cobra alpinista e tem uma cauda preênsil. Existem predadores naturais da píton birmanesa, como o tigre e a cobra-rei.

Píton-real (Python regius)


Píton-real (Python regius). Imagem de sipa por Pixabay

Tamanho médio: 1,5 m
Habitat: pastagens e bancos de rios
Distribuição: África ocidental
Alimentação: mamíferos pequenos e aves
Reprodução: vivípara, ninhada de 10 filhotes



Essa píton robusta com cor de fundo muito escura. Possui nódoas ovais castanho-amareladas, marrom-claras e marrom-amareladas no doso. Ao longo de cada flanco tem séries de nódoas de cores vivas. É conhecida por sua estratégia de defesa que envolve enrolar em uma bola apertada quando ameaçada, com a cabeça e o pescoço escondidos no meio.

Píton-reticulada (Python reticulatus)


Píton-reticulada (Python reticulatus). Imagem de Hendrik Alberti Bernat por Pixabay

Tamanho médio: 10 m
Habitat: florestas tropicais e clareiras, aldeias e até cidades
Distribuição: Sudeste da Ásia
Alimentação: mamíferos. aves e rabanhos domésticos
Reprodução: ovípara, até 100 ovos



Essa é possivelmente a maior cobra do mundo. Tem intricadas marcas em losango pretas com bordas amarelas sobre um fundo cinza, além de machas brancas irregulares nos flancos. São descritas como excelentes nadadoras, sendo encontrada, segundo relatos, em alto mar, e por consequência, colonizando pequenas ilhas dentro do seu alcance. A espécie possui poucos inimigos naturais (além do crocodilo) pois são fortes o suficiente para matar quase qualquer animal que as ameace. Muitas vezes elas atacam até os seus próprios predadores, os crocodilos. Muitas vezes essa gigantes serpentes não consegue engolir um crocodilo adulto.

Píton-africana (Python sebae)


Píton-africana (Python sebae). Fonte da imagem: Wikipédia/Tigerpython

Tamanho médio: 5 m
Habitat: pastagens, áreas rochosas, perto de aldeias e fazendas
Distribuição: África, sul do Saara.
Alimentação: mamíferos, aves, crocodilos e peixes
Reprodução: ovípara, ninhada de até 50 ovos



Esta é uma píton bem forte, apesar de pequena, com uma cabeça larga coberta de escamas. A cor pode ser marrom ou marrom-esverdeada com uma fileira de marcos escuros nas costas e nos flancos. Essas gigantes cobras podem comer até crocodilos de 3 a 4 m.

Comentários