Os fósseis de Artrópodes: Insetos

Os insetos são um grupo de animais que tiveram um grande sucesso na conquista do nos mais diversos ambientes da terra.


Os insetos, um grande grupo bem adaptado


Os insetos são invertebrados com exoesqueleto quitinoso, corpo dividido em três tagmas (cabeça, tórax e abdómen), três pares de patas articuladas, olhos compostos e duas antenas. Seu nome vem do latim insectum. O status taxonômico pode variar dentre diferentes bibliografias, mas mais frequentemente consideram-se insetos pertencentes à superclasse Hexapoda e classe Insecta do filo Arthropoda. Conforme aqui apresentado a classe Insecta fica taxonomicamente sinônima de Ectognatha. A ciência que se dedica a estudar os insetos é conhecida como Entomologia.


Os insetos são o grupo de animais mais diversificado existente na Terra. Como o maior e mais largamente distribuído grupo de animais artrópodes do planeta, os insetos representam mais que 70% de todas espécies de seres vivos descritos. Embora não haja um consenso entre os entomologistas, estima-se que existam de 5 a 30 milhões de espécies viventes de insetos. das quais cerca de 1 milhão destas espécies já foram catalogadas. Os insetos podem ser encontrados em quase todos os ecossistemas do planeta, mas somente um pequeno número de espécies adaptaram-se à vida nos oceanos. Existem cerca de 30 ordens formais de insetos, dependendo do sistema de classificação adotado Focando naquelas ordens mais comuns e diversas, no momento existem registros de aproximadamente 6 mil espécies de Odonata (libélulas), 24 mil de Orthoptera (gafanhotos, tettigoniidaes e grilos), 158 mil de Lepidópteros (borboletas e mariposas), 156 mil de Dípteros (moscas e mosquitos), 104 mil de Hemipteros (percevejos, cigarras e afídeos), 387 mil de coleópteros (besouros) e 117 mil de Hymenópteros (abelhas, vespas e formigas).


Leia também:


FÓSSEIS DE INSETOS


Por incrível que pareça, mesmo eles sendo um grupo tão grande e diversificado, os fósseis de insetos são bastante raros:


Libelula Doris


Fonte da imagem: https://www.alamy.com


Fósseis de insetos são raros, em parte divido ao seus exoesqueletos frágeis e fáceis de serem destruídos. Esta larva de libélula é uma das raras exceções, talvez devido a seu habitat, mais propício à fossilização. A família da libélula, Libellulidae, ainda é bem comum.


✅ Canal no Youtube | Inscreva-se AGORA ✅

https://www.youtube.com/channel/UCdjF1j_jYXGznBq955YWDoQ


Inseto preso no Âmbar


Fonte da imagem: https://pt.wowhead.com


Talvez esse seja o exemplo de fóssil mais famoso da terra. Há cerca de 40 milhões de anos, este inseto ficou preso na resina de uma árvore na ilha Dominca. Sepultado, logo morreu sufocado, e a total falta de oxigênio que o matou também evitou que as bactérias o decompusessem. A resina fossilizou-se em âmbar e preservou o inseto. Em bora pareça intato, é, na realidade um molde cavado da resina, com um afina camada carbonizada nas beiradas.

Comentários